26 de dezembro de 2008

Reflexões de Pós-Natal

Redescobri algumas coisas neste Natal.
• Meu espírito natalino é infinitamente maior do que muita gente que gosta da data.
• Sou uma boa pessoa. Independente do que acha o Papai Noel.
• Adoro boa comida. Detesto desperdício.
• Encontros devem ser espontâneos. A obrigatoriedade evidencia a hipocrisia.
• Natal sem criança é um saco cheio de nada. Os adultos são esse saco.
• Amo conversar. Não suporto falta de assunto.
• Amizade só no Natal é falsidade.
• Dissimulação é um veneno.
• Tenho mãos de fadas na cozinha. Eu me amo!
• Andar após o almoço ajuda na disgestão física, mental e espiritual.
• Amo cachorros. Cada dia mais.
• Fazer o bem faz bem, mesmo para quem não nos fez bem.
• Os natais foram incríveis na infância. Eu era feliz, e sabia.
• Os melhores presentes são os mais simples, surpreendentes, inesperados e carinhosos.
• Comida de mãe é algo divino.
• Separar o lixo limpo faz eu me sentir colaboradora de uma vida melhor para muita gente.
• Não conseguir agradar a todos faz de mim quem verdadeiramente sou.
• Respeitar minhas emoções e limites me faz feliz.
• O Natal é uma data que deprime a maioria das pessoas. Mesmo àquelas que não assumem.
• Eu sobrevivi a mais um Natal.

2 estressados(as):

Carol, pros íntimos. disse...

Pê querida

Por isso gosto tanto do natal. Sempre nos leva a reflexões como essas. É bom pra encarar o ano que vai começar. Pelo menos a gente põe tudo numa balança e vê que nada é tão ruim assim, graças a Deus, né?

Beijão

disse...

Nunca acho que as coisas são totalmente ruins.
Sempre há o lado bom. Eu sou o lado bom! ahahahahahahahahah